- CIDADES INTELIGENTES E SEGURAS E SUSTENTÁVEIS
(CIS252672018)

 

Local: Sede da FAMURS (Rua Marcílio Dias, 574 – Bairro Menino Deus em Porto Alegre/RS)
Investimento: R$ 399,00 para Prefeitura – R$ 599,00 para outros
Horário: 9h às 12h das 13h30 às 17h
Data: 25 e 26 de julho de 2018
Carga horária: 14h/a


1. APRESENTAÇÃO


O evento nominado de “Cidades Inteligentes, Seguras e Sustentáveis” será ministrado com uma carga horária de 14 horas, vencidas em dois dias.
Abordará conceitos, temáticas, recursos e metodologias atualizadas e baseadas no campo e no uso da Internet - rede mundial de computadores, para a sensibilização e nivelamento conceitual das diversas etapas e dos ambientes que compõem os ecossistemas de Cidades Inteligentes: o redesenho das cidades, desenvolvimento, urbanismo, o planejamento prospectivo e sustentabilidade, a proteção e da segurança da informação e vulnerabilidades, governança e as estratégias e políticas de gestão pública, a viabilidade a implantação de soluções, descomissionamento e licitações honestas, a garantia e a resiliência dos ativos informacionais e da infraestrutura crítica, que através da conexão de inteligências, permitam conceber uma modelagem urbana capaz de construir um novo ambiente social amigável e agradável.


2. OBJETIVO

O foco do curso é propiciar aos gestores dos municípios associados a FAMURS uma cultura tecnológica e de inclusão digital capaz de compreender as relações entre o poder público, empresas, organizações e cidadão, os impactos sociais, econômicos e políticos diante da inovação tecnológica, como também identificar as evidencias essenciais necessárias para dimensionar o projeto de futuro do seu município.

3. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

Etapa 1 Conceituação sobre Ciberespaço:

1.1 Conhecimento é Poder / Conhecimento é riqueza

· O que é ciberespaço?;
· Economia Cibernética - Riqueza e Mercado financeiro, trabalho, capital, Inteligência, moeda própria - Criptomoedas;
· Guerra Cibernética (Cyber War) - Guerra Total pela Informação;
· Teoria do Poder Cibernético e as Relações Internacionais – transformações na natureza do poder;
- Os rápidos e os lentos – O deslocamento do poder, coalização de forças e a qualidade da inteligência;
· Assuntos Globais: Liberdade pessoal, democracia, economia de mercado e livre comércio internacional,
· Conhecimento, inteligência e contra-inteligência;
· Guerra de 5ª Geração – guerra de alta tecnologia: monitorar tráfego da internet e monitorar as comunicações (bloqueio, filtragem e monitoramento ataque e defesa). Ex.: pragas digitais, bombas lógicas.
· Choque do futuro e seus impactos: Singularidade Tecnológica, Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação e o paradoxo de Sophia

1.2 Responsabilidade do Estado

- Composição de um Sistema Segurança Cibernética
- Processo de mudança, maneira pela qual a mudança afeta as pessoas e as organizações - as transformações que virão;
- Política Nacional de Segurança da Informação, Política Nacional de Defesa Cibernética; Estratégia Nacional de Defesa e o Livro Branco de Defesa;
- Vulnerabilidades: ataques de modificação, deleção, forjamento, réplica ou roubo de dados;
- Cooperação entre esferas de governo, 3 Poderes, Ministério Público, Cortes de Contas, setor privado, agências de fomento, investimento e financiamento, academia, militares, sociedade civil organizada
- Cooperação Internacional;
- Normatização e Certificação.

Etapa 2 – Smart States (Estados Inteligentes), Smart Cities (Cidades Inteligentes), Smart Homes (Casas Inteligentes)

2.1 Governança ou falta dela
- Integração de Múltiplas Utilidades Públicas;
- Ecossistemas – Interconexão de Sinergias e Inteligências, Infra estruturas Críticas e Resiliência;
- Novo sistema para criação de riqueza e qualidade de vida
– cidades amigáveis e agradáveis;

2.2 Poder das Redes e Modelagem Urbana
- Tecnologias Emergentes e Requisitos: Complementariedade da SI, Segurança Cibernética e Defesa Cibernética: Algoritmos, Criptografia (ou falta dela), IoT, Cloud, Big Data, Transformação Digital, Internet 3.0, Industria 4.0, Web Mobile,

Inteligência Artificial, Conectividade, Carreiras;
- Pólos Geradores de Inovação - Conectar redes e inteligências – Tech Clusters,APL´S, Consórcios;
- Desenvolvimento sustentável urbano.

Etapa 3 – Smart Cities e Segurança Cibernética

3.1 Cultura e Comportamento

- Todo gestor público precisa saber responder essas questões:
Você tem controle de todos os dispositivos conectados à rede?
Onde estão seus dados e como são usados?
Como seus usuários se comportam?
- Tele Gestão - Rede Inteligente Municipal- Contenção, Decisão, Comando e Controle;
- SI engloba a Segurança Cibernética e contribui para a Defesa Cibernética;
- Dos processos
- Das pessoas
- Das tecnologias - Dos ambientes
- Orçamento: Gestão de Riscos – Internet e Intranet;
- Educação, conhecimento e inteligência;
- Vulnerabilidades: ataques de modificação, deleção, forjamento, réplica ou roubo de dados;
- Redes
- Prevenção e Tratamento de Incidentes: Provedores, backbone;
- Hackers;
- Soluções: Algoritmos e Criptografia, Anti-Virus, Firewall, Malware (vírus, worms, Phishing Scam), Spyware embutido (robôs), Ransomware, Blockchain.


3.2 Melhores Práticas

- Requisitos, perímetro e atributos: Mecanismos de controlar o tráfego da Internet;
- 5P´s: Priorizar, Planejar, Propagar, Persistir, Perenizar (institucionalizar);

Tópico 1. Caracterização da Modelagem Urbana do Município: Design Thinking;

Tópico 2. Elaboração do Diagnóstico da SI Atual do Município

Tópico 3 . Auditorias de Segurança.

3.3 Cidades Superconectadas
A Cidade que utiliza inteligentemente seus recursos

- Prognóstico da Modelagem Futura do Município- A cidade que queremos.
- PPP´s – Regime de Concessão ou Permissão Administrativa;
- Estudos de Oferta e Demanda de Dados e Informações;
- Modelagem e Projeções Futuras da Demanda
– Redes
– Infraestrutura:software, hardware, equipamentos, eriféricos, dispositivos;
- Planejamento Prospectivo: Definição de Cenários para os Horizontes Temporais.

3.4 Vigilância
Quem vigia o vigia?

- Institucionalização do Plano de Modelagem Urbana através do Ordenamento Jurídico
Sustentação Jurídica: Legislação Internacional, Federal, Estadual e Municipal.
- Cloud Act, GDPR, RFID


3.5 Futurismo Cyber Planner: Plano de Ação para Viabilização do Projeto de Futuro da Modelagem Urbana nos Municípios

Escopo Técnico: Criação de Escritório de Projetos de Modelagem
Urbana:

- Serviços Públicos de Interesse Local;
- Utilidades Públicas e socialização ;
- Ambiente de Demonstração de Tecnologias para Cidades Inteligentes;
- Definição de Projetos para os Eixos Estruturais;
- Viabilidade Econômica: Return on Investment (ROI)

a) Elaboração de Programa de Captação de Recursos dos Projetos;
b) Elaboração de Projetos Executivos e Programa de Implantação.

4. PÚBLICO-ALVO:

Prefeitos, Secretários, Vereadores, Assessores, Chefes de Gabinete, Empresários, Diretores, Gestores, Líderes de Projetos de TIC´s, Arquitetos, e Engenheiros interessados ou já engajados no novo conceito de cidades inteligentes

5. CURRICULUM SINTÉTICO:

JOÃO LEOPOLDO RITTER ANDRES

- Mestrando em Direção Estratégica Em Telecomunicações - Universidad Europea del Atlántico – Espanha;
- Pós - Graduado em Políticas e Estratégias Nacionais – Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra ADESG-TO/UNITNS;
- Consultor em Negócios Internacionais – Fundação Dom Cabral/SEBRAE/APEX;
- Graduado em Administração – Comércio Exterior pelo UNISINOS/RS;
- Vice-Presidente de Defesa Cibernética do Instituto Smart Cities Business América - SCBA;
- Secretário-Geral da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra – ADESG/RS – Representação Santa Maria /RS;
- Professor Membro da Comunidade de Prática em Defesa Cibernética – CoPDefCiber-MD;
- Experiência Profissional: Ferramentas Gerais S/A, Springer Carrier do Nordeste S/A, Petróleo Ipiranga S/A, Cervejaria Equatorial S/A-BRAHMA, Secretaria da Saúde/Governo do Tocantins, SEBRAE, APEX, Professor na ULBRA, SUCESU Nacional,
Sistema Amazônico de Comércio Exterior-SACE/SEBRAE, painelista e conferencista.