• Local: Rua Marcílio Dias, 574 - Porto Alegre/RS
    Investimento: R$ 399,00 para Prefeitura - R$ 599,00 para outros
    Horário: 9h às 12h das 13h30 às 17h
    Datas: 21 e 22 de agosto de 2018
    Carga Horária: 14h/a



    OBJETIVO


    Entender os conceitos e a estrutura de organização de um inventário no setor público e sua integração com a contabilidade para o atendimento ao PCASP, MCASP e NBCASP.


    PÚBLICO ALVO

    Servidores da administração, fazenda, patrimônio, contabilidade, controle interno e secretários municipais.


    CONTEÚDO PROGRAMÁTICO


    1.O sistema de controle interno e a relação com o patrimônio;
    2.O setor de patrimônio e os servidores que devem integrar o setor;

    a) Conceitos básicos
    1 O Patrimônio das entidades
    2 O setor patrimonial e suas atribuições
    3 PCASP, MCASP, NBCASP
    4 Fechamento e Integração entre Patrimonio e a Contabilidade
    5 Práticas diárias
    6 Os lançamentos contábeis
    7 Durabilidade, fragilidade, incorporabilidade, transformabilidade e perecibilidade.
    8 Permanente x Consumo;
    9 Reavaliação
    10 Redução ao Valor Recuperável - Impairment

    11 Cálculo e lançamentos da Depreciação

    3.Situação do patrimônio no Poder Legislativo em relação ao Executivo ;
    4.Situação do patrimônio das entidades da Adm. Indireta em relação ao Executivo;
    5.Como classificar e cadastrar os bens;
    6.Critérios para a classificação de bem patrimonial, material de consumo, serviços e obras;
    7.Responsabilidade pela guarda e transferência de bens;
    8.Bens de pequeno valor, controle relação carga e responsabilidade;
    9.Situações de cadastro em conjunto dos bens;
    10.Elaboração de manuais e rotinas sobre os controles atinentes aos bens patrimoniais;
    11.Inventários, Avaliação, Mensuração e Depreciação dos Bens.

    B) Rotinas durante o inventário
    1 Registros de Ingresso e baixa de Bens
    2 Incorporação e Tombamento
    3 Número de Tombamento do Bem
    4 Etiquetagem
    5 Termo de Responsabilidade
    6 Tipos de Bens: Uso Comum do povo, Especial e Dominical
    7 Controle dos bens em Conserto e Reparo
    8 Transferência de Bens
    9 Modelo de Termo de Baixa
    10 Doação
    11 Inutilização
    12 Extravio ou Furto
    13 Venda / Leilão
    14 Bens Inservíveis
    15 Bens não localizados
    16 Bens dados em cedência
    17 Bens recebidos em cedência

    12. Exercícios práticos;
    13. Casos práticos a estudar.


    MINISTRANTE

    Cezar Volnei Mauss
    -Autor do livro publicado pela editora Atlas:
    - Gestão de custos aplicada ao setor público;
    - Análise das demonstrações contábeis governamentais;
    -Autor do livro publicado pela editora Alemã OmniScriptum:
    - A gestão de custos e resultado pública: sua integração com um sistema de planejamento parametrizado;
    -Co-autor do livro publicado pelo CRC/RS:
    - Processo licitatório e a Lei Complementar 123/2006;
    - NBCASP Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público sob a ótica das IPSAS: um estudo comparativo
    -Autor do Capítulo do Livro publicado na Holanda:
    - XBRL in public administration as a way to evince and scale the use of information, inserido no livro: Innovations and Advanced Techniques in Computers and Information Sciences and Engineering;
    -Autor de 3 capítulos de livro publicados na Espanha pela Universidade de Cantábria - Gobernanza Empresarial de Tecnologías de la Información - In: Angel Cobo Ortega; Adolfo Vanti. (Org).;
     O controle interno municipal a luz das NBCASP e sua relação com os sistemas de informação.
     A contabilidade governamental brasileira, evidenciação e transparência da informação contábil em um contexto tecnológico.
     Procedimentos e práticas de contabilidade governamental, à luz das NBCASP, para melhoria da conformidade da informação contábil.
    -Contador formado pela UPF em 1998;
    -Especialista em Gestão e Controle da Administração Pública formado pela UPF em 2004;
    -Mestre em Contabilidade e Controladoria formado pela UNISINOS em 2007;
    -Professor da ULBRA de 2005 até 2015 das disciplinas: Fundamentos de contabilidade, Gestão de custos, Administração financeira I e II, Gestão estratégica.
    - Professor da FAT de Tapejara de 2015, até hoje.
    -Proprietário da empresa Mauss Consultoria em Gestão Ltda, fundada em 2005 para atuar com consultoria em empresas privadas e órgãos públicos;
    -Responsável por escritório contábil estabelecido em Carazinho e Coqueiros do Sul, desde 1997, tendo empresas clientes nestes municípios e em Pontão/RS.
    - Contador do Município de Carazinho em 2000.
    - Contador do Município de Coqueiros do Sul/RS de 2001 a maio de 2009.
    - Contador do Município de Chapada de 2009 a 2011.
    -Pesquisador da Ulbra na área gerencial das empresas com publicações realizadas no Congresso Brasileiro de Custos, Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia Empresarial (SEGET) realizado pela Faculdade Dom Bosco de Resende/RJ, Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ENAMPAD), entre outros, inclusive com publicações internacionais nos EUA e Venezuela.
    -Membro da Comissão de estudos de contabilidade pública do CRC/RS;

  • Local: Rua Marcílio Dias, 574 - Porto Alegre/RS
    Investimento: R$ 399,00 para Prefeitura - R$ 599,00 para outros
    Data: 22 e 23 de agosto de 2018
    Horário: 9h às 12h das 13h30 às 17h
    Carga Horária: 14h/a



    CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

    1. Introdução:
    1.1. A Função da Sinalização de Trânsito no Círculo Virtuoso do Trânsito Seguro;
    1.2. Legislações Brasil;
    1.3. Conceito de Trânsito;
    1.4. Elementos do sistema de trânsito;
    1.5. Sistema viário;
    1.6. Planejamento urbano;
    1.7. Planejamento da circulação;
    1.8. Conflitos na circulação viária;
    1.9. Normas gerais de circulação;
    1.10. Dos pedestres e condutores;
    1.11. Da sinalização de trânsito;
    1.12. Calçadas;
    1.13. Acessibilidade;
    1.14. Conceito e objetivos da engenharia de tráfego;
    1.15. Acidentes;
    1.16. Etapas para elaboração de projetos viários;
    1.17. Conceito e princípios da sinalização;
    1.18. Regra geral de preferência;
    1.19. Distância de parada e visibilidade;
    1.20. Desafios do trânsito.

    2. Sinalização Vertical:
    2.1. Suportes;
    2.2. Visibilidade e legibilidade;
    2.3. Sinalização de advertência;
    2.4. Sinalização de regulamentação;
    2.5. Sinalização de indicação;
    2.6. Sinalização educativa;
    2.7. Sinalização de serviços auxiliares;
    2.8. Sinalização turística;
    2.9. Sinalização estacionamento idoso;
    2.10. Sinalização estacionamento deficiente físico;
    2.11. Sinalização lombadas / quebra-molas;
    2.12. Materiais, custos / benefício.

    3. Sinalização Horizontal:
    3.1. Introdução;
    3.2. Base legal;
    3.3. Função;
    3.4. Infrações;
    3.5. Padrão de formas;
    3.6. Padrão de cores;
    3.7. Dimensões;
    3.8. Materiais, custo / benefício;
    3.9. Quadro de especificações;
    3.10. Aplicação e manutenção;
    3.11. Sucesso da sinalização;
    3.12. Sinalização horizontal;
    3.13. Sinalização estacionamento idoso;
    3.14. Sinalização estacionamento deficiente físico;
    3.15. Sinalização lombadas / quebra-molas.

    4. Dispositivos Auxiliares:
    4.1. Dispositivos delimitadores;
    4.2. Dispositivos de canalização;
    4.3. Dispositivos de sinalização de alerta;
    4.4. Alterações nas características do pavimento;
    4.5. Dispositivos de proteção contínua;
    4.6. Dispositivos luminosos;
    4.7. Dispositivos de uso temporário.

    5. Sinalização Semafórica:
    5.1. O que e?;
    5.2. Formas e dimensões;
    5.3. De regulamentação;
    5.4. De advertência;
    5.5. Controlador de tráfego;
    5.6. UVP;
    5.7. Equipamentos;
    5.8. Critérios para implantação;
    5.9. Amarelo piscante.

    6. Sinalização de Obras:
    6.1. Considerações gerais;
    6.2. Finalidade;
    6.3. Alterações de trafegabilidade;
    6.4. Classificação e função;
    6.5. Responsabilidades legais;
    6.6. Procedimentos;
    6.7. Diretrizes para projetos;
    6.8. Tipos de obstrução e duração dos serviços;
    6.9. Mobilidade dos serviços;
    6.10. Etapas dos serviços;
    6.11. Zona de controle;
    6.12. Procedimentos.

    7. Gestos e Sinais Sonoros:
    7.1. Exemplos.

    8. Tratamento de áreas especiais:
    8.1. Check list da sinalização viária;
    8.2. Sinalização viva;
    8.3. Equipamentos eletrônicos de controle de velocidade;
    8.4. Iluminação;
    8.5. Passarelas;
    8.6. Agentes de fiscalização;
    8.7. Traffic calming / Moderadores de velocidade;
    8.8. Tratamento de áreas hospitalares;
    8.9. Proibição de circulação de veículos;
    8.10. Estradas;
    8.11. Tratamento de áreas escolares;
    8.12. Estacionamento rotativo.

    9. Exercícios práticos de sinalização:
    9.1. Estudos de casos.



    MINISTRANTE

    Ricardo Schiavon